ABRABULL Bulldog Inglês
Faça parte desta associação!

Reflexo da nossa sociedade

Nosso bulldog já foi condenado a desaparecer com a proibição das lutas no ano 1845. Mas tanto o bulldog quanto outras raças somente sobreviveram por ter achado seu espaço na “perversão” que as fez criar anormalidades, e, no caso específico do bulldog , o tem convertido num típico produto do tempo da prosperidade, gordo, baixo e um pouco preguiçoso, que nunca exige passeios a seu dono, feliz com o espaço físico que um apartamento de uma grande cidade lhe oferece, ele também tem desenvolvido um fanático amor a seu amo e aos meninos dele.

A raça bulldog tem justificada sua existência e a sua demanda tem seu lugar nesta sociedade, da qual é um típico produto. Suas qualidades têm que ser ainda demonstradas pela raça que queremos criar agora, coisa que não era necessária há noventa anos porque naquela época não eram necessárias as modificações que teve que passar.

Que a esperança de uma longa vida é diminuta, que o parto natural é complicado, que não é enaltecido com os louros desportivos, que o calor o incomoda, que o enfarte cardíaco o ameaça permanentemente... Todas estas são características de um destino que o bulldog compartilha conosco.

A variedade das raças caninas no mundo é produto da obra cultural humana, e merece respeito, mas quando, além disso, um destes “produtos” tem conseguido encontrar no mundo atual seu espaço, no qual sobrevive, acreditamos que não existem justificativas para tocá-lo. Sob esse ponto de vista, entende-se perfeitamente a luta dos criadores alemães que tentam defender as características da raça.

CBKC FCI CBRB
Premier
Site produzido pela Netface